Envie esta página a um amigo!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Livre-se dos Entulhos



Às vezes é muito difícil nos desfazermos de alguns objetos que nos acompanham ao longo dos anos. Seja pelas lembranças, seja pela possibilidade de que venham a ser útil algum dia ou até mesmo por apego afetivo.

É um verdadeiro desafio jogar fora centenas de objetos e sentimentos que entulham o caminho e atrapalham nossa vida.

Periodicamente, gosto de de faxinar armários, gavetas, caixas, etc. e  sempre me assusto com tantas coisas inúteis guardadas.

Será que precisamos de tudo o que acumulamos diariamente?

Eu sou do tipo que guarda as coisas; não por apego, mas porque gosto de reciclar, então sempre acho que posso reaproveitar, de alguma forma, as embalagens, objetos descartáveis, roupas que já não uso, ou utensílios velhos e com defeito, e os guardo.

Por outro lado, não tenho nenhuma dificuldade de jogar fora objetos que têm por finalidade apenas enfeitar, tais como: arranjos florais empoeirados e manchados por mosquitos, lembrancinhas de aniversários, estatuetas, ímãs de geladeira, etc.

Cada um com sua mania...  Mesmo assim, com todas as nossas manias, precisamos nos livrar dos entulhos. É preciso arranjar lugar para novas aquisições. 

Ao faxinar gavetas de papel, fico impressionada com tantos cupons de compras, números telefônicos  anotados sem referência a quem pertencem, rascunhos, anúncios, crachás de eventos que participei e nem me lebrava mais... projeções que não tem mais nenhum significado, extratos bancários de anos atrás... Quando percebo,  já estou com mais de uma sacola repletas de papéis inúteis.

Livrar de entulhos do nosso armário de roupas é bem mais complicado. Sempre fica alguma peça que a gente acha que vai vestir no próximo verão ou no próximo inverno e de repente descobrimos que as estamos guardando há 4 invernos ou 5 verões, na expectativa de uma oportunidade de usá-las. Tem aquelas roupas que gostamos e não nos cabem mais. Eu acabo guardando na esperança de que vou emagrecer para vesti-las, algum dia... mas este dia não chega.

Todas as vezes que faço compras, aproveito para limpar os armários da cozinha e não entendo como ainda encontro produtos vencidos há alguns meses, parece que brotam não sei de onde. O mesmo fenômeno acontece com a geladeira.

E as caixas? Dentro das caixas sempre encontro chaves que não abrem nenhuma porta, parafusos, lixas velhas...

Poderíamos falar ainda dos entulhos de construção, restos de tinta, que sempre achamos que vamos precisar para retocar a pintura,  espelhos de interruptores que podem ser reaproveitados, pedaços de lixa, pedaços de fios, pedaços de cerâmica, e muitos outros objetos. Só que, um dia percebemos que a tinta secou, os espelhos de interruptores estão fora de moda e que nossas necessidades são outras.

Outro dia li a história de um casal que ainda estavam na faculdade quando contraíram matrimônio; por isso deixaram os presentes nas caixas enquanto não mudavam para sua casa definitiva. Enquanto estudavam, mudaram-se muitas vezes. Quando, enfim, se  formaram, mudaram para seu apartamento e foram abrir as caixas de presentes; descobriram que tinham se mudado umas 5 vezes, carregando 3 caixas cheias de papéis amassados.

Ainda tem aqueles objetos que têm valor afetivo. Foram nos dado em uma ocasião especial, ou por pessoas especiais na nossa vida, ou compramos numa viagem agradável, ou nos resportam a um tempo muito agradável... a gente tem pena de se desfazer deles.

Mais difícil ainda é nos desfazermos de velhos hábitos, de projetos que já caducaram e não se aplicam mais, de manias que acumulamos ao longo da vida, de recordações amargas, de ressentimentos, de culpa, de momentos desagradáveis, de feridas na nossa alma que não se cicatrizam. Você já percebeu que muitas vezes nos apegamos a sentimentos ruins, a lembranças desagradáveis, a hábitos inconvenientes e nem nos damos conta disto? Como resultado, ficamos amargos, doentes, tristes e sem perspectivas.

Muitas coisas boas estão acontecendo na nossa vida, novos amores, gestos de carinho que redimem, já fomos perdoados por nossas culpas, há um bálsamo para nossa ferida... Mas para receber tudo isto precisamos jogar fora os velhos sentimentos e hábitos que nos prejudicam. Muitas pessoas não são capazes de receber um gesto de carinho porque estão apegadas ao ressentimento, não podem receber perdão porque não abrem mão da própria culpa, não são capazes de desfrutar de momentos agradáveis porque cultivam a lembrança de um momento desagradável da sua vida, vivem com suas feridas abertas porque se recusam  a utilizar o bálsamo.

O Apóstolo Paulo escrevendo aos corintos diz: "Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!" 2 Co 5:17

É necessário abrir mão do velho homem para que a nova criação em Cristo seja revelada.

Portanto, jogue fora o entulho da sua casa para que realce o que é novo, mas jogue fora principalmente os entulhos da sua alma. E, no que tanje a sua alma, não recicle, não coloque remendo velho em tecido novo, para que a luz de Cristo resplandeça através de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário